Conheça o Airsoft, o esporte que está crescendo no mundo

Atividade que simula operações militares ganha cada vez mais adeptos também no Brasil

É cada vez mais comum ver o Airsoft sendo praticado no Brasil. Se antes víamos com estranheza esse esporte, agora já não é tão raro esbarrarmos com algum campo da prática dessa atividade. O número de adeptos vem aumentando de forma massiva no país desde o início de sua oficialização em 2003.

Se agora o esporte é mais popular, foi apenas em 2010 que a produção e a comercialização de produtos, como a pistola Airsoft, por exemplo, tiveram todo seu aparato legal suportado, quando a Portaria nº 002 – COLOG foi homologada. Com isso, hoje são dezenas de grupos espalhados por todo o país, com organizações próprias e participações em jogos em praticamente todos os fins de semana do ano.

O que é o Airsoft?

O Airsoft é um esporte em que, na prática, os jogadores participam simulando operações militares, onde busca-se o realismo em todos os aspectos. Assim, os equipamentos e as vestimentas utilizadas são bem parecidos com os reais. No entanto, as armas utilizadas são de pressão e atiram projéteis plásticos não letais (bbs) de 6 mm de diâmetro. No Brasil, a atividade é regulamentada pelo Exército Brasileiro e a ponta laranja é exigida em todos os equipamentos para diferenciar das armas reais, já que eles são réplicas equivalentes (na parte externa) às verdadeiras. No entanto, o interior é bem diferente.

A legislação brasileira não obriga que o praticante seja militar, mas implica que os participantes devam ser maiores de idade. A quebra desta lei implica em sanções legais para os responsáveis do jogo e para os responsáveis do campo em que a atividade está sendo desenvolvida. O mesmo vale para quem deseja comprar uma AEG ou outro equipamento semelhante, visto que as armas de Airsoft que utilizam pressão a gás e necessitam do Certificado de Registro e Guia de Tráfego emitido pelo Exército, o que não é exigido dos equipamentos elétricos e a mola, sendo necessário apenas estar com a nota fiscal do produto.

Honra

As bolinhas de plástico ou “bbs”, como são conhecidas, são rígidas e sem tinta. É nessa hora que a honra é levada em conta nesse esporte, já que o jogador deverá acusar que foi atingido e sair do jogo. Sem essa honestidade, o Airsoft não sobrevive.

Armamento

Os armamentos utilizados no Airsoft são classificados como armas de pressão, segundo decretos e portarias do Exército Brasileiro (R-105 e Portaria Nº 02 COLOG, de 26 fevereiro de 2010). São basicamente três tipos de armas: elétricas, a gás e à mola. Confira:

  • Elétricas: as armas elétricas disparam automaticamente e por muitas vezes, utilizando uma bateria que move o motor. Como não possuem a necessidade de serem carregadas a todo momento, são muito indicadas para quem deseja ingressar no esporte. Conhecidas como AEG (Automatic Eletric Gun ou “Arma Elétrica Automática”), elas utilizam uma bateria, um motor e um sistema de engrenagens e pistão para comprimir uma mola e expelir o projétil.

 

  • A gás: são pistolas com um sistema que imita o recuo das armas de fogo. Chamadas de GBB (Gás Blowback), podem possuir gás propano (green gás) ou gás CO2. Não precisam ser carregadas como as elétricas, mas devem ter seu gás reabastecido, isso feito em um carregador especial que possui uma câmara para esse fim. Pistolas, rifles, espingardas e carabinas podem ser utilizadas em propulsão a gás.

 

  • Mola: Armas com propulsão a mola têm como característica principal o disparo único de projéteis e precisam ser recarregadas cada vez que forem usadas. Um revólver Airsoft, por exemplo, comprime o projétil a cada disparo feito.

Munição

As munições são esféricas, feitas de plástico ou algum composto biodegradável, e com diâmetro de 6 mm. Elas possuem diversas gramaturas, sendo que as mais comuns têm entre 0.2g e 0.25g para aegs, gbbs e demais armas; e 0.3g para snipers.