Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma bolsa de colostomia

Passar por uma cirurgia nem sempre é um processo agradável, mas, em alguns casos, ele se faz necessário certas circunstâncias como traumas, acidentes e infecções que possam comprometer a nossa saúde. Se você recentemente passou por uma cirurgia de colostomia a fim de desviar a saída das fezes, sabe do que estou falando.

Neste caso, o seu médico cirurgião vai recomendar o uso de uma bolsa de colostomia. Esse produto ortopédico vai ajudar na sua recuperação do processo cirúrgico ao mesmo tempo em que aumenta a sua qualidade de vida. 

A seguir, vamos entender o uso da bolsa intestinal, quais são os tipos que estão à venda e como trocar e limpar a sua bolsa de fezes da maneira correta. Continue lendo! 

Para que serve a bolsa de colostomia 

A bolsa coletora de fezes tem como finalidade auxiliar no desvio das fezes que não podem ser eliminadas pelo ânus. Ela é instalada no abdômen próximo do intestino grosso a partir de um pequeno corte no local. 

Neste caso, tudo o que o corpo entende que não pode ser aproveitado como fonte nutritiva para o abastecimento do corpo é eliminado diretamente numa bolsa intestinal

Conforme o paciente ostomizado (aquele que passou pela cirurgia de colostomia) não tem mais o controle das fezes, a bolsa funciona como uma forma de dar a ele mais tranquilidade e segurança no dia a dia. 

Quais são os tipos de bolsa de colostomia 

As bolsas de colostomia estão divididas entre modelos permanentes (usados para sempre) e temporários (por um intervalo de tempo). Elas estão separadas em quatro versões: 

1 – Não drenável 

Como o próprio nome já sugere, a bolsa de colostomia não drenável é usada uma única vez, sendo descartada assim que ⅓ do seu conteúdo é completado. Como ela é troca frequentemente, ela exige cuidado para não machucar a região do estoma. Portanto é indicada para pacientes que já possuem experiência com a substituição da peça 

2 – Drenável 

A maior vantagem de uma bolsa de fezes drenável é a sua relação custo-benefício. Ela pode ser usada mais de uma vez, evitando que você gaste sempre com uma nova quando a sua atual estiver cheia. 

No entanto, tenha em mente que esse tipo de bolsa intestinal deve ser limpa com cuidado a fim de evitar infecções na área do estoma por causa do acúmulo de fezes. 

3 – Uma peça 

Aqui temos a bolsa coletora formada por duas peças: a placa e a bolsa. A vantagem desse modelo é que ele é instalado e removido de uma só vez, facilitando a troca e limpeza do produto pelo paciente.  

4 – Duas peças 

O modelo de bolsa de duas peças contam com a placa e bolsa separadas. Aqui a fixação e retirada da bolsa de colostomia é feita por etapas, sendo primeiro encaixada a placa e depois a bolsa. Isso facilita inclusive na lavagem das peças e na redução de alergias e outros incômodos provocados pela presença de restos de conteúdo fecal. 

Como trocar a bolsa de colostomia e mantê-la limpa 

Os cuidados com a bolsa de colostomia devem incluir tanto a troca do produto quando ele já não atende às necessidades do usuário quanto a sua limpeza, quando a bolsa intestinal ainda está dentro do seu período de uso. 

Tenha em mente que o procedimento de troca e descarte deve ser feito em uma embalagem lacrada para evitar que o odor invada o ambiente e gere desconforto e constrangimentos desnecessários. 

Depois de removê-la, você deve colocá-la de ponta cabeça no vaso sanitário, tomando o cuidado para não sujar e contaminar a privada durante o esvaziamento da bolsa coletora. Em seguida, limpe o bocal do estoma com um pano macio umedecido. Esse procedimento deve ser feito com regularidade para evitar irritações na pele, entre outros problemas. 

Agora que você já sabe o que é, para que serve, quais são os tipos e como trocar/descartar e limpar a sua bolsa de colostomia, aproveite para continuar navegando pelo nosso site para conferir outros conteúdos como esse, repletos de informação de qualidade.